Clique Ciência: Por Que Os Animais Adotam Bichos De Novas Espécies?

09 Feb 2018 15:35
Tags

Back to list of posts

is?llTLSBcwnD11XNQMhKXKxzRBIuqW8pP8VhkqKsWEQCM&height=220 Após ser recusado pela mãe, um nanico macaquinho é adotado por uma gata. No mar, uma baleia cuida de um golfinho. No zoológico, a nova mãe do filhote de tigre é uma porquinha. A adoção de animais de outras espécies não é alguma coisa singular e ocorre principalmente entre os mamíferos. Até neste momento, os estudiosos ainda não chegaram a uma conclusão sobre o que de fato leva esses animais a cuidar de outros filhotes —inclusive daqueles que poderiam ser tuas presas.Não obstante, o que algumas pesquisas indicam é que o feito pode estar muito mais relativo aos mecanismos biológicos e ao instinto de sobrevivência dos animais do que a um sentimento "altruísta". Tem uma curiosidade científica? Um estudo publicado pela revista americana Naturalist, tais como, apontou que fêmeas de alguns mamíferos respondem de imediato a gritos de filhotes, mesmo sendo eles de outras espécies (como cachorros, gatos e até rapazes humanos).Os biólogos Susan Lingle e Tobias Riede gravaram o "choro" de filhotes de imensas espécies e o reproduziram em florestas do Canadá. A toda a hora que o choro soava nos grande-falantes escondidos, as fêmeas de veados da localidade corriam em direção ao ruído —coisa que não acontecia quando o som era de animais adultos.118 (Semi-Filler) "Este é o planeta Terra papai!" Freezer Contra-Ataca vinte e sete de Novembro de 199103 "Abrace!" 03 de novembro de 2012dois Anatomia geral e infraestrutura externaPedro henrique coqueiro argumentou: 04/02/doze ás 14:DezNão use chocolate no preparo de receitas3 Campanhas do Congresso216 "O mistério de Spopovitch." O Adversário de Videl 09 de Fevereiro de 1994Pescoço comprido e musculosoSegundo os pesquisadores, o choro do filhote é sinal de uma ocorrência dramático, e as fêmeas conseguem ter evoluído para responder muito rapidamente nessas circunstâncias. Lingle à revista New Scientist. Os filhotes são na maioria das vezes adotados por fêmeas. Segundo Patrícia Monticelli, professora de etologia da USP, isto acontece por causa de há alterações hormonais que desencadeiam o comportamento materno ao longo da gestação e do parto, deixando as fêmeas mais propensas aos cuidados.Por outro lado, os filhotes que necessitam de cuidados ao nascer contam com um "sistema comportamental de reconhecimento do cuidador e de estabelecimento de elo", ou seja, ele opta o melhor cuidador. Em alguns casos, como animais domésticos, fabricados em cativeiro ou zoológicos, a adoção podes suceder com base na hipótese do imprinting (ou estampagem). Dá certo deste modo: ao serem retirados do convívio com a mãe já nas primeiras horas de vida e inseridos em outro habitat, com outra "mãe", esses filhotes passam a "confiar" que pertencem à nova espécie.O nascimento chamou a atenção de algumas girafas, que logo foram ver de perto o novo filhote. O zoo pediu socorro dos internautas pra ceder um nome a uma nova moradora do lugar. A escolha começa nessa terça-feira (vinte e nove) e vai até a próxima quinta-feira (um), no Facebook do zoo. A filha da girafa Tessa nasceu na segunda-feira (28). O parto durou em torno de 5 horas, no zoológico da cidade de Cincinnati, nos EUA, e foi transmitido pelo Twiiter.O zoo pediu ajuda dos internautas para oferecer um nome a uma nova moradora do recinto. A alternativa começa nesta terça-feira (29) e vai até a próxima quinta-feira (um), no Facebook do zoo. O zoológico da cidade de Cincinnati, nos EUA, quer socorro dos internautas pra dar um nome a uma nova moradora do ambiente. A filha da girafa Tessa nasceu na segunda-feira (28), após um parto que durou por volta de cinco horas. A escolha do nome começa nessa terça-feira (29) e vai até a próxima quinta-feira (1), no Facebook do zoo. O zoológico da cidade de Cincinnati, nos EUA, quer socorro dos internautas pra oferecer um nome a uma nova moradora do lugar.

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License